segunda-feira, 14 de outubro de 2013

Resenha #28 - Urupês

Postado por Diarios De Leitura - segunda-feira, outubro 14, 2013 - com 2 comentários
Ficha técnica


Título: Urupês
Autor: Monteiro Lobato
ISBN: 9788525046888
Páginas: 177
Ano: 2007
Editora: Globo



Resenha

Este exemplar reúne uma variedade de contos do famoso escritor brasileiro Monteiro Lobato. Não espere encontrar as conhecidas histórias de cunho infantil como o “Sitio do Pica-Pau Amarelo”, aqui ele apresenta seu outro lado , com um olhar mais critico e estórias que em sua maioria não possuem um final feliz. O leitor receberá uma fria realidade rural brasileira, outros contos sobre o cotidiano da época e diversas referências que estão encravadas em nossa cultura, como o personagem Jéca Tatu, criado por Lobato.

Ao ler este livro, sentimos certo clima pesado, os acontecimentos são simples, mas muito chamativos. Estórias de pessoas que perderam suas terras e fortuna para golpistas, vidas que se foram por devaneios ou maldade alheia, descritas de uma maneira que prende o leitor, os contos são todos curtos, em sua maioria entre três e cinco páginas, mas não conseguimos parar de virar as páginas para saber mais acontecimentos. Uma das estórias que mais me cativou foi a de uma menina que era paraplégica, sua mãe sempre se queixava de que a criança era uma inútil e só lhe dava gastos, uma noite quando a menina estava doente, ela reclamava de sede e grunhia, sua mãe sempre a mandava se calar e dormir. No dia seguinte é menina é encontrada morta por sede na posição de ter se arrastado até o pote de água e não alcança-lo por estar em um lugar alto. É algo muito forte e magistralmente narrado como uma prosa pelo autor.

Ao começar a ler este exemplar (o primeiro de um box com cinco livros de outros contos) realmente não sabia o que esperar, nunca fui um apreciador da literatura brasileira, a escola me fez não gostar da leitura por quase toda a minha infância e adolescência, devido as diversas histórias maçantes que somo obrigados a ler para execução de provas e vestibulares. Mas tive uma surpresa muito agradável com estes contos, eu não me deparei com o cansativo enredo que eu tanto detestava, e sim, com interessantes histórias de uma realidade mais mundana, algo que poderia acontecer em qualquer lugar, em que eu me senti apegado a referências de minha infância mais “pé descalço” e o clima interiorano que sou acostumado.

A narração dos contos varia de terceira para primeira pessoa, a linguagem utilizada é do português da época (entre século 10 e 30), porém, mesmo com algumas palavras que podem causar certa dificuldade ao leitor, a obra não perde em nada o seu valor literário, os textos antes de virarem este livro eram publicados em revistas e jornais, então suas descrições são bem elaboradas e engrandecem a obra como um todo.

Confesso que Monteiro Lobato me fez ver nossa literatura nacional com outros olhos, outros autores (como alguns de parceria) também estão mudando meu olhar sobre tudo, mas Lobato me fez perceber que o clássico que eu tanto rejeitava possui uma beleza peculiar que está me atraindo de uma maneira que eu mesmo não consigo entender. Apenas o que posso dizer sobre essa obra é um grande muito obrigado.


Boa Leitura.





Categorias: ,

2 comentários:

  1. Ricardo, que livro interessante. Amo Monteiro e adoro as edições da Globo Livros, mas ainda não conhecia esta obra. Adorei, quero comprar.

    Bjs, Isabela.
    www.universodosleitores.com

    ResponderExcluir
  2. Seguindo e Curtido!!Retribui??
    http://overdoselite.blogspot.com.br/
    https://www.facebook.com/overdoselite
    Bjus

    ResponderExcluir