quinta-feira, 27 de fevereiro de 2014

Resenha #39 - Cidades Mortas

Postado por Diarios De Leitura - quinta-feira, fevereiro 27, 2014 - com 10 comentários
Ficha técnica

Título: Cidades Mortas

Autor: Monteiro Lobato

ISBN: 9788525046253

Páginas: 192
Ano: 2007
Editora: Globo


Resenha

Continuando a leitura de contos do escritor Monteiro Lobato, o livro Cidade Mortas traz criticas e estórias cômicas das pequenas cidades do nosso Brasil. Podemos dizer que o livro se divide em duas partes: a primeira possui cunho crítico aos vilarejos aqui denominados Itaoca. Estas críticas são por sua rotina tranquila, com poucos acontecimentos e quando algo ocorre, ele é relembrando e discutido pelos moradores durante anos. O primeiro ponto que marcou minha leitura foi o conto “A vida em Oblivion” em que o autor descreve que a cidade possuía três livros e que ali se instalava toda a literatura que a população da mesma conhecia.

As criticas são interessantes, embasadas e fazem muito sentido, ainda mais para mim, que sou arquiteto. Outro ponto focado em alguns contos é a quebra da bolsa de valores devido à queda da compra do café, assim deixando várias propriedades fantasmas abandonadas por conta das dívidas de seus antigos proprietários. O livro descreve elementos da cultura cotidiana ainda encontrada em alguns lugares mais isolados de nosso país, é de certo modo envolvente ler algo de cerca de 90 anos de idade e achar pontos contemporâneos nele.

A segunda parte do livro se concentra nas estórias cômicas, temos causos e acontecimentos peculiares que fazer parte da nossa cultura. O conto “O Fígado Indiscreto” é uma ótima estória de um sujeito que odiava de todas as maneiras comer fígado, porém na noite de jantar na casa de sua pretendente o prato principal é essa carne. Várias situações engraçadas acontecem e um final que fecha o conto de apenas cinco páginas com chave de ouro.

Em certos momentos vemos uma mescla da crítica em junção com o lado cômico, como é o caso de “O Espião Alemão”. Quando estourou a 1ª Guerra Mundial, uma pequena cidade se vê em posição de alerta contra os “vilões” alemães, a confusão começa quando um andarilho é pego na cidade e preso como suspeito de ser um espião inimigo. Ao interrogá-lo, não entendem seu alemão que apenas diz: “Ai em Inglix”. O conto também traz mais algumas passagens cômicas e um final inusitado fechando com uma crítica sobre o pensar de um povo mais simples facilmente ludibriado.

A narrativa varia entre primeira e terceira pessoa, utiliza um português da época, porém é de fácil compreensão, as estórias não perdem por esse sentido. Alguns contos são um pouco cansativos, mas por serem pequenos textos, eles logo são finalizados e se tornam melhor após a leitura, quando “digerimos” a informação que foi passada. Muitos outros contos compõem esse livro e todos possuem seu valor. Recomendo a leitura deste exemplar, mais uma peça ótima de nossa literatura nacional.




Categorias: ,

10 comentários:

  1. Hey!
    Adoro livros que focam nessa fase do Brasil café, quebra da bolsa... eu nunca tinha lido nada sobre os livros adultos do Lobato. Fiquei super interessada. Tem um box perfeito dele *o*

    ResponderExcluir
  2. Não sabia que o Monteiro Lobato escrevia esse tipo de contos. Fiquei bastante curiosa e ainda mais porque gosto de ler contos escritos em primeira pessoa e acredito que vá ser interessante ler um livro escrito com o português da época *-*

    ResponderExcluir
  3. Monteiro Lobato é uma referência esplêndida da nossa literatura!
    Amooooo <3
    Gosto bastante de livros de contos, especialmente os "causos" por serem divertidos e causarem identificação.
    Os que descrevem o início do século passado e podem ser considerados atemporais, são absolutamente interessantes.
    Já está na lista dos desejados!
    Bjs

    ResponderExcluir
  4. Já li alguns contos do livro e gostei bastante, acho que pouca gente conhece esse lado do Lobato.
    Adorei sua resenha!

    Beijos,
    http://patriciapinheirotextos.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  5. Não gosto muito de ler clássicos, já tentei mudar isso, mas não consigo! Pra quem gosta de clássicos, deve adorar esse, afinal Monteiro Lobato é um escritor muito renomado e elogiado!

    ResponderExcluir
  6. Oi Ricardo !
    Não sou das maiores fãs de Monteiro Lobato, mas minhas experiências com ele foram na infância, e eu realmente não gosto de livros infanto-juvenis. Não conhecia esse livro e sou pouco ligada à literatura nacional. Bom saber mais, sua resenha está ótima! :)

    Mari Siqueira
    http://loveloversblog.blogspot.com

    ResponderExcluir
  7. Deve ser uma leitura muito gostosa rsrs , ainda não li nenhum livro de Monteiro Lobato , é meio chocante né rsrs

    ResponderExcluir
  8. eu nao tenho preconceito algum com literatura nacional, amo ler qlqr tipo de livro nao importando de onde vem! mas literatura nacional antiga, so me lembra literatura do colegio e nao consigo ler de jeito nenhum! me lembra livros de historias cansativas q eu era obrigada a ler kkkkkkkkk nao curti tbm a premissa desse livro do Lobato, entao nao lerei :/

    ResponderExcluir
  9. Não é todo livro nacional que eu leio, o livro tem que ser muito bom mesmo, para eu poder ler. Eu não gostei da sinopse deste livro infelizmente.

    ResponderExcluir