terça-feira, 25 de março de 2014

A Menina Submersa: Memórias é um verdadeiro conto de fadas

Postado por Diarios De Leitura - terça-feira, março 25, 2014 - com 10 comentários
Obsessões e assombrações à flor da pele
 
Uma “obra-prima do terror e da fantasia dark” da nova geração 


A Menina Submersa: Memórias é um verdadeiro conto de fadas, uma história de fantasmas habitada por sereias e licantropos. Mas antes de tudo uma grande história de amor construída como um quebra-cabeça pós-moderno, uma viagem através do labirinto de uma crescente doença mental. Um romance repleto de camadas, mitos e mistério, beleza e horror, em um fluxo de arquétipos que desafiam a primazia do “real” sobre o “verdadeiro” e resultam em uma das mais poderosas fantasias dark dos últimos anos. Considerado uma “obra-prima do terror” da nova geração, o romance é repleto de elementos de realismo mágico e foi indicado a mais de cinco prêmios de literatura fantástica, e vencedor do importante Bram Stoker Awards 2013.
 
O trabalho cuidadoso de Caitlín R. Kiernan é nos guiar pela mente de sua personagem India Morgan Phelps, ou Imp, uma menina que tem nos livros os grandes companheiros na luta contra seu histórico genético esquizofrênico e paranoico. Filha e neta de mulheres que buscaram o suicídio como única alternativa, Imp começa a escrever um livro de memórias para tentar reconstruir seus pensamentos e lutar contra o que seria “a maldição da família Phelps”, além de buscar suas lembranças sobre a inusitada Eva Canning, sua relação com a namorada e consigo mesma, que evoca em muitos momentos a atmosfera de filmes como Azul é a Cor mais Quente (Palma de Ouro em Cannes, 2013) e Almas Gêmeas (1994), de Peter Jackson.
 
Não se assuste: é um livro dentro de um livro, e a incoerência uma isca para uma viagem mais profunda, onde a autora se aproxima de grandes nomes como Edgar Allan Poe e HP Lovecraft, que enxergaram o terror em um universo simples e trivial – na rua ao lado ou nas plácidas águas escuras do rio que passa perto de casa –, e sabem que o medo real nos habita. Caitlín dialoga ainda com o universo insólito de artistas como P.G. Wodehouse, David Lynch e Tim Burton, e o enigmático personagem Sandman, de Neil Gaiman, com quem aliás, trabalhou, escrevendo The Dreaming, spin-off derivado da obra-prima de Gaiman. A Menina Submersa evoca também as obras de Lewis Carrol, Emily Dickinson e a Ofélia, de Hamlet, clássica peça de Shakespeare, além de referências diretas a artistas mulheres que deram um fim trágico à sua existência, como a escritora Virginia Woolf.
 
Com uma narração intrigante, não-linear e uma prosa magnífica, Caitlín vai moldando a sua obsessiva personagem. Imp é uma narradora não-confiável e que testa o leitor durante toda a viagem, interrompe a si mesma, insere contos que escreveu, pedaços de poesia, descrições de quadros e referências a artistas reais e imaginários durante a narrativa. Ao fazer isso, a autora consegue criar algo inteiramente novo dentro do mundo do horror, da fantasia e do thriller psicológico.
 
A epígrafe do livro, retirada de uma música da banda Radiohead – “There There” –, diz muito sobre o que nos espera: “Sempre há um canto de sereia lhe seduzindo para o naufrágio”. A Menina Submersa é como esse canto, que nos hipnotiza até que tenhamos virado a última página, e fica conosco para sempre ao lado de nossas melhores lembranças.
 
Caitlín R. Kiernan (1964) é autora de livros de ficção científica e fantasia dark, e paleontóloga. Escreveu dez romances, dezenas de histórias em quadrinhos e mais de 200 contos e novelas. Entre seus trabalhos, destacam-se os romances Silk (1998), Threshold (2001), ambos vencedores do International Horror Guild Award, e The Red Tree (2009); a série em quadrinhos The Dreaming, spin-off de Sandman, de Neil Gaiman, com quem também escreveu a novelização de Beowulf (2007). A Menina Submersa: Memórias conquistou os Prêmios Bram Stoker e James Tiptree, Jr., este dedicado a obras de ficção científica ou de fantasia que expandem e exploram a compreensão de gênero.
 

 “Caitlín R. Kiernan é a poeta e trovadora dos arruinados e perdidos.”
Neil Gaiman, autor de Sandman e O Oceano no Fim do Caminho
 
“Com A Menina Submersa, Caitlín R. Kiernan segue firme para a nova vanguarda, ainda em formação, de nossos melhores e mais potentes autores de romances góticos e fantásticos – aqueles capazes de escrever ficção com uma profunda seriedade moral e artística. Esse romance sutil, obscuro e envolvente, através do qual se apresenta um gênio estranho e constistente, não se parece com nada que eu tenha lido antes. A Menina Submersa é uma assombrosa obra de literatura e, se me permitirem, talvez a obra-prima de Caitlín R. Kiernan.”
Peter Straub, autor de O Talismã, Mr. X. e O Clube do Fogo do Inferno
 
“Incisivo, lindo e esculpido perfeitamente como uma caixinha de surpresas, A Menina Submersa é de tirar o fôlego.”
Holly Black, autora de Red Glove
 
Ficha Técnica
 
Título | A Menina Submersa: Memórias
Autor | Caitlín R. Kiernan
Tradutor | Ana Resende e Carolina Caires Coelho
Editora | DarkSide®
Edição | 1ª
Idioma | Português
Especificações | 320 páginas
Dimensões | 14 x 21 cm
Lançamento | Previsto para maio de 2014
Editora DarkSide®
 
O horror, a fantasia, o suspense, o mágico. A Darkside®, primeira editora do Brasil inteiramente dedicada ao terror e à fantasia, reúne o que há de mais interessante e instigante no universo sombrio da literatura, de ontem e de hoje. A cada página de um livro, a cada fase de um jogo, a cada calafrio, estaremos apostando sempre no escuro, no mágico, no inusitado, no novo. Go play!
 
Mais informações vc@darksidebooks.com | www.darksidebooks.com

Categorias: ,

10 comentários:

  1. Esse livro parece muito doido! Mas eu curti a premissa. rs
    Confesso que gostei demais dessa aproximação com as obras de Gaiman, Lovecraft e Poe.
    bjs

    ResponderExcluir
  2. Essa capa é assustadora, gostei da dica e da resenha, fiquei bem curiosa.

    Beijos

    ResponderExcluir
  3. Esse livro parece ser um "Samba do crioulo doido", hein?!?! Deve ser daquelas tramas em que não podemos perder a concentração em nenhum momento, pois poderemos perder o fio da meada. Já digo que achei essas inspirações e evocações soberbas. Enfim, quero ler em breve.

    @_Dom_Dom

    ResponderExcluir
  4. Esse livro com essa capa, e nesse estilo, não faz meu tipo. Mas parece um sucesso com a critica. Então, pode ser que ele agrade a outros leitores.

    ResponderExcluir
  5. Oi, quando eu vi a capa fiquei assim meio na duvida, ainda mais quando li que era uma historia de assombrações, achei tipo ela nada haver com a historia do livro, mas parece ser bom hein, assombrações, sereias, acho que o livro deve agradar muito.
    Beijos!!!

    ResponderExcluir
  6. Só li um livro dessa autora "Corolaine" era suspense e mesmo assim fiquei morrendo de medo, ela escreve muito bem, tão bem que estou pensando em não ler esse livro. rs

    ResponderExcluir
  7. Apostar no escuro é a forma mais garantida de diversão, adrenalina e muito suspense, misturado com terror.
    Adoro os livros da Dark e, com certeza, lerei a obra.
    Não achei a capa assustadora e nem sombria, na verdade achei fraquinha, em vista das outras capas que a editora prepara.
    Mas a história me deixou intrigada: misturar sereias e licantropos, e fazer isso de forma super curiosa, de fato, não é de se admirar pouco.
    Um livro dentro de um livro é, no mínimo, curioso, também.
    Acho que leria a obra mais pela curiosidade que você me deixou, do que pelo conteúdo dela em si.
    M&N | Desbrava(dores) de livros - Participe do nosso Top Comentarista

    ResponderExcluir
  8. Meu Deus, se o Neil Gaiman recomendou essa autora, quem sou eu para contrariar? hahah adicionado já para a minha wishlist. E essa capa hein? Simplesmente linda!

    ResponderExcluir
  9. Esse livro parece ser incrível Não conhecia essa autora e nem esse livro, mas agora já está na minha lista de leituras.

    Abraços
    http://macaliteraria.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir