domingo, 28 de julho de 2013

Resenha #5 - Meus problemas com as mulheres

Postado por Diarios De Leitura - domingo, julho 28, 2013 - com 4 comentários
Ficha técnica

Título: Meus Problemas com as Mulheres
Título Original:  MY TROUBLES WITH WOMEN
Autor: Robert Crumb
ISBN: 9788576164036
Páginas: 100
Ano: 2010
Tradutor: Alexandre Boide
Editora: Conrad do Brasil







Resenha

Em um de seus quadrinhos mais conhecidos (pelo menos aqui no Brasil), o genial e bizarro cartunista underground dos anos 70, nos traz histórias íntimas, controversas e constrangedoras. Neste HQ, o autor mostra momentos autobiográficos do decorrer de vários momentos de sua vida, sobre suas “taras”, inseguranças e problemas com o sexo oposto.

Crumb inicia sua narrativa descrevendo seu tipo de mulher ideal, aquela pelo qual ele mais se sente atraído, principalmente pelo cunho sexual, sua preferência são as mulheres mais “cheinhas”, com pernas grosas, um corpo forte com bunda e seios avantajados.

Depois destas explicações um tanto quanto detalhadas, não apenas na narrativa, mas sim com seus desenhos, Robert nos descreve tudo, isso mesmo caro leitor, tudo o que ele gosta de fazer com essas mulheres, incluindo posições e fetiches, um deles é o de subir nas costas das donzelas, ou sentar em suas nádegas e vê-las trabalhar.

Depois de você adentrar nas taras constrangedoras do autor e ler vários pedidos de desculpa por ser tão esquisito, temos um conceito traçado, assim Crumb começa a nos explicar por que destes conceitos sexuais com fatos que aconteceram em sua vida, passando por uma infância reprimida pelo conceito católico (dito pelo próprio autor como autoexplicação), sua timidez excessiva com o sexo oposto, os valentões e suas implicações, o repentino sucesso nos quadrinhos dos anos 70 com sua libertação sexual, como conheceu sua mulher e chegando até o tempo em que o quadrinho foi escrito, dentre outras histórias.

O desenho de Robert Crumb é muito característico dele, pois apresentam muitos traços, formas arredondadas típicas da era hippie. Os desenhos possuem preenchimentos em formas de hachuras bem demarcadas, contudo, com traços bem realistas, marcando cada marca do personagem (covinhas, pêlos, rugas, etc...) e do ambiente ao redor.

Pág 47



Esse quadrinho é algo constrangedor, devido à sinceridade, feministas irão se sentir bem ofendidas, o autor de desculpa em muitas passagens da narrativa, que é em primeira pessoa assim deixando o clima mais íntimo e vergonhoso.

Essa revista é claramente adulta, possue desenhos com cunhos sexuais (que fique claro que não é uma revista pornô), algo que não recomendo ler próximo de familiares. Uma brincadeira que Crumb faz são algumas “deformações” com seus desenhos mostrando bem suas influências da cultura do anos 70.

Vale a pena a leitura, a bizarrice do autor cansa um pouco, mas não é uma revista que só tenha “sacanagem”, o real foco dela são os problemas que ele passa pela vida, as várias situações que mudam seus conceitos de realidade e sua personalidade, á histórias que é apenas desenhos do rosto do autor descrevendo seus constrangimentos e como isso mudou o que ele era antes.




Boa Leitura.


Categorias: ,

4 comentários:

  1. ótima resenha!
    http://malucoporleitura.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
  2. Adorei a resenha, não conhecia o livro, mas parece bom. te indiquei para responder uma tag no meu blog, espero que goste :)

    Beijos :*
    http://pequenosviciosdiarios.blogspot.com.br/

    ResponderExcluir
    Respostas
    1. Olá, que bom que gostou!
      Eu vi a tag, irei responder até no máximo amanhã, muito obrigada por nos marcar!

      Beijos.

      Excluir